Para um ausente


image[12]

Não ter você é sofrimento
É melancolia, banzo e descontentamento.
Acredito que não te perdi por entre os dedos
E sei que nunca você foi um dos meus medos

Nunca o vi pessoalmente
O nosso amor, se existiu, foi só na minha mente.
Ah, tão triste e pobre amor,
Nunca gozaste o bom da vida, mas se viveste foi só com o amargo da dor.

Que futuro tão inútil
Fruto de um presente tão fútil,
Escravo de um passado escuro
E feitor de um coração obscuro.

Essa vida tão longe e tão perto,
Aonde não tem um único passo certo
É a minha mais grave doença
E de fato, a minha sentença.

Talvez não pular de um precipício
Tenha sido a minha maior falta de principio
Quem sabe você não me tomaria à mão
E juntos iriamos ao chão.

Para caminharmos firmes e vagarosamente
Observando as flores, os dias e o eternamente.
Assim, a felicidade não estaria em um túmulo,
E eu não acharia que tudo é o cúmulo…

por Júnior Rocha em 05-05-2013 (00h03min)

Amei querido! Obrigado pelo carinho de sempre! 😀

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s