Lá vem ele… Ano Novo… Vida Nova… Recomeço!


Nossa! Dezembro já está terminando! Como o ano passou rápido! Não? E a sua vida, também passou rápida? Despercebida? O que você fez? Já parou para analisar suas ações durante o decorrer de um ano? São 12 meses, 365 dias, 8.760 horas e 525.600 minutos que às vezes deixamos passar sem percebermos. É incrível ver quanto tempo temos para realizar as coisas e na maioria das vezes damos a desculpa de que não tivemos tempo para realizá-las. Ainda bem que sempre é tempo de re-co-me-çar! É por isso que lhe digo que não importa aonde você parou… Em que momento da vida você cansou… o que importa é que sempre é possível e necessário “Recomeçar”. Dar uma nova chance a si mesmo… Renovar as esperanças na vida e o mais importante… Acreditar em você de novo. Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado… Ficou com raiva das pessoas? Foi Para perdoá-las um dia… Sentiu-se só por diversas vezes? É por que fechaste a porta para os anjos… Pois é… Agora é hora de reiniciar… de pensar nas coisas simples de novo. Que tal um novo emprego Uma nova profissão Um corte de cabelo arrojado… diferente…Um novo curso… ou aquele velho desejo de aprender a pintar… desenhar… dominar o computador… ou qualquer outra coisa… Olha quanto desafio… quanta coisa nova nesse mundão de Deus te esperando. Ta se sentindo sozinho? Besteira… tem tanta gente que você afastou com seu “período de isolamento”… tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu para “chegar” perto de você. Quando nos trancamos na tristeza… nem nós mesmos nos suportamos… ficamos horríveis… o mau humor vai comendo nosso fígado… até a boca fica amarga. Recomeçar… hoje é um bom dia para começar novos desafios. Joga fora tudo que te prende ao passado… ao mundinho de coisas tristes… fotos… peças de roupa… papel de bala… ingressos de cinema, bilhetes e viagens… e toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados… jogue tudo fora… mas principalmente… esvazie seu coração… fique pronto para a vida… para um novo amor… Lembre-se somos apaixonáveis… somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes… afinal de contas… Nós somos o “Amor”… Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura. Esse texto é de Carlos Drummond Andrade, Ele sabia o que dizia!

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s